Desejo não é pecado

“Amor é o desejo irresistível de ser irresistivelmente desejado.” (*Robert Frost)

domingo, 20 de março de 2011

Que ninguém durma


Que ninguém durma,
enquanto ela correr descalça pela floresta sob a luz da Lua
roçando a pele nos troncos das árvores,
prendendo os cabelos nos galhos secos
Que ninguém durma,
enquanto eu escrever o que sinto por ela
como se pudesse através das palavras
expressar os sentimentos mais profundos do meu coração

Que ninguém durma,
quando ela gritar o seu desejo preso no peito,
arranhando as coxas montando em troncos
e deixando seu sangue banhar a terra.

Que ninguém durma,
quando eu abrir as janelas dos meus olhos
e como um homem com o sol brilhando em si
eu possa engravidar de luz a minha amada mulher-lua

Que ninguém durma,
quando eu, cometa, cruzar a sua constelação
fazendo amor com os seu satélites
e alterar pra sempre sua órbita

Que ninguém durma,
enquanto ela esfregar os seios nas pedras úmidas
chupar os gomos da fruta rija
engolindo a seiva quente que de dentro jorra.

Que ninguém durma,
quando ela rolar nua na grama abraçada a caules
ferindo o ventre e esfolando as mãos
enterrando os dedos na lama macia.

Que ninguém durma,
quando eu com as mãos
fingir que os olhos também podem sentir
o meu nome é estrada, o dela é caminho

Que ninguém durma,
quando ela explodir de prazer ao nascer do segundo sol
dividindo-se ao meio ao ser penetrada por seus raios
transformando seu corpo em pura energia.
Que ninguém durma
nas noites em que sob a luz da Lua
queimamos na espera do primeiro raio Sol.

Que nessas noites ninguém durma! 

3 comentários:

eliene disse...

Foi a declaração de amor mais linda que eu já li.Deveria estar acompanhada de Nessum Dorma - Pavarotti, é digna dela. Lindo seu amor, diria que é uma ODE. Parabéns

eliene disse...

Um sonho, eu diria, numa noite de Outono.Bravíssimo.Bjs

Ela, a mulher-Lua disse...

ah! meu amado Sol, ficou maravilhoso! Chorei!